Dia do Trabalho, em memória.

“Aos que morreram
para estarmos aqui,”

Construtores de edifícios,
agora pontos turísticos
das pirâmides ao Bigbang/

Soldados defendendo a nação
muito sangue derramado
para perdermos respeito e noção/

Cobaias de laboratório
Foram animais, foram gente,
assunto que nunca estamos bem cientes/

Ao pobre trabalhador
Escada dos indecentes no
Lucro sobre lucro/

Aos escravos
moveram forçadamente a engrenagem
Que hoje movemos voluntariamente/

Aos imigrantes
Deram um novo gosto em cada terra pisada
E ainda hoje temos fronteiras/

Às vítimas da seca e da fome
alguém lhes tomou a água e o pão
Barrigas d’água/

Aos que se perderam na guerra
Está escrito: assim é o homem
Do lugar aonde vivo/

À todos vocês:

Por causa de vocês
Ainda achamos flores no caminho!

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional

8 comentários

  1. Esta leitura vem do latim, da palavra tripalium (instrumento de tortura), mas também pode ser da palavra labor (que origina laboratório) e, por consequência, pressupõe, maior dignidade para quem o executa.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s