Alegria

O dia que em que eu colecionar alegria
Contarei uma a uma

Como num terço itinerante
Estarei radiante

Já comecei
Um, dois, três…

Descobri que a alegria
É incontável

Alegria é cantável
Vivo som em profusão

Dance, dance, dance
Até o transe

A vida é essa oração

Enquanto isso o terço torce
Para não ser só repetição
Mas também gratidão

Que transita entre os nós
Dia a dia

Na coleta e na colheita
Da canção.

6 comentários

  1. Urgência nesta sua conquista de arranjar ALEGRIA, por favor, enviar um caixote bem lacrado para o amigo, já nas últimas do desânimo com tanto Breu no mundo vasto mundo.
    .

    Quando tiver tempo, leia a carta escrita há pouco: Carta à Mãe, n. 308.

    Aquele abraço.

    Curtido por 2 pessoas

    1. Veja bem, disse que estou procurando, às vezes acho uma numa flor, noutras na poesia, e têm aquelas também vestidas de um prato saboroso (dessas você conhece bem). Já esse tal desânimo sabe se esparramar por todo lado, nas mídias, nas falácias, nas atitudes irracionais. O negócio é proteger a alegria encontrada e fazer do seu canto um conto para toda a posteridade…

      Amigo, tempo até que tenho, sabe o que está me faltando? Energia. Por isso estou apagada. Espero que compreenda.

      Curtir

    1. Estevam, Gente Boa,
      como sabemos, o breu não descansa, não dorme, daí o pedido à nossa Amiga para que quando reunir Alegria o bastante, que nos favoreça com bons punhados, neste mundo vasto mundo, ou talvez seja melhor dizer mundo gasto mundo.
      Um abraço.

      Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s