Promessas

Promessas
Escorrem pelos dedos
Do tempo
De quem esperou
A palavra não cumprida
Esperanças escorridas
Em segredo

Calabouços
Não calam a boca
E os ventos
De quem nasceu
Para trilhar
Entre as tempestades
E o planar

Solfeggios
Tons de sons da cura
Sol e fé
Ressurjo
Não fujo
Da voz da vida

Que me cuida
Nos traçados
Nas tranças e em cada
Tratado

E

Qui

Brio

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s