Relógio no tempo

Ainda que se ande pelo vale
Das sobras e da sorte
Se não tiver palavra
De nada valereis

Relógio n’agua

Relógios derretem no tempo
Não há temporal que o vento
Deixe de soprar
Com sua vórtex incrível
Faz o invisível se materializar

Promessas afundadas

O sereno já passou
Já cansou de serenar
Na serenata
Sem ouvintes.

Na voz sem fundamento


Poema 2 em 1, ou, será 1 em 2?

O primeiro verso é referente ao Salmos 23:4 e de Coríntios 13:1-2

Ainda que ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, pois Tu estás comigo”.

Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor… nada serei.”

4 comentários

  1. Uma beleza de visão perante a Vida. Bateu forte. De fato, muito bom texto – melhor digo – uma leveza que pesa, sim, é preciso que eu contraponha estas duas antíteses aqui, porque o poema é muito bom.

    Um abraço.
    Darlan

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s