Poema do dia

Têm dias que gansos
viram vagalumes

Têm dias que canso
e o lume vaga

Têm dias que as cores
se misturam no lago

Têm dias que tudo se resolve
num afago

Têm dias que o parque é o lar que nos acolhe quando o frio nos encolhe

Têm dias que o abraço é dado pelo olhar num piscar do tempo que se esvai  colorindo com o andar

Na cauda dos dias.

2 comentários

  1. Há dias de dias no decorrer da vida, mas um nunca será igual ao outro. Nós apenas temos que nos adaptar às situações para torná-las suportáveis. Bom poema.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s