Dedão

Desconheço o

Descortino do

Destino

De vez em quando

Delírios transcendentais

Depois

Deletérios

Desejos carnais

Desenho mandalas

Decoro o

Devir que

Despirá a névoa no

Despertar da

Deusa que

Decifra os

Detalhes no

Dê e no dão

De cada ação

Em cada dedão as digitais do Universo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s