Sem desejo

“Keine Lust, kein gut”, essa foi a expressão que escutei de uma herborista.

Na ocasião ela explicava sobre como o sabor das plantas mudam conforme as estações. Mais propriamente dizia sobre a raiz do dente-de-leão. O qual provei e aprovei!

O tema era as Pancs – plantas alimentícias não convencionais – as rústicas, as nativas, as silvestres que nascem espontaneamente nos terrenos, calçadas e ruas, as quais são tratadas como matos, ou, ervas daninhas. Por exemplo: urtiga, ora pro nobis, peixinho, picão, taioba, serralha, etc

E como saber se não serão prejudiciais à nossa saúde?

Keine Lust, kein gut.

Vale para plantas, pessoas e qualquer situação.

“Sem vontade, não é bom”

É o saber e o sabor da natureza.

Assim terminou a aula do dia.


As flores do mato são bem especiais para mim, já fiz vários poemas sobre elas.

Alemão – português

Keine ou Kein = sem, não é
Lust = vontade, desejo, ânimo, apetecer
Gut = bem, bom

Sem vontade, sem desejo, não é bom

Vocês concordam? Eu plenamente.

Nosso corpo tem uma sabedoria inata que nos faz evitar os venenos, mas, insistimos em não escutá-la.

Tamanha desconexão do corpo, da natureza e da intuição nos adoece e nos afasta do que verdadeiramente poderíamos viver aqui nessa Terra.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s