Liberdade

Entre a raiva e a sensibilidade

Há a liberdade

Que clama em notas musicais

A musa no cais

Toca

Com as mãos algemadas

Para trás

Uiva

Com sua música negra

Schumann se recolhe

Dançam os ossos

No encontro das memórias

Sinfônica sintonia

Nas desiguais

Há identificação

Lá em cima do piano

Tinha peixe fora d’água

E era fêmea

Quem lhe ouviu

Viveu

Que conCurso!

Assim vou eu

Na ópera da vida

Que muda tudo

Em quatro minutos

Onde o prêmio vai

Para quem aprende

Reverenciar

O som dos dias de

Lá maior.


Não é sobre você, é sobre a música”,
diz a professora, a aluna aceita, nasce a conexão.


O poema do dia foi inspirado em um debate sobre o filme Vier Minuten (Quatro Minutos), vencedor do 57º Prêmio do Cinema Alemão em 2017.

Sobre o peixe, um desenho antigo de meu filho quando tinha 12 anos. O peixe tem um simbolismo especial no filme e nos sonhos.

5 comentários

  1. Amei a poesia escrita cim as mãos nas costas em quatro minutos para reverenciar a poeta que habita o seu corpo! 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s