Para Daniela

Eu não sei quem é Daniela, mas essa noite sonhei com ela e hoje enquanto eu lia o poema do dia o subconsciente me falou: é pra Dani também. Como sou atenta ao que me sopram os ventos, vou compartilhar o poema e que sirva para ela também.


Eros e Psiquê – Fernando Pessoa

Conta a lenda que dormia
Uma Princesa encantada
A quem só despertaria
Um Infante, que viria
De além do muro da estrada

Ele tinha que, tentado,
Vencer o mal e o bem,
Antes que, já libertado,
Deixasse o caminho errado
Por o que à Princesa vem.

A Princesa Adormecida,
Se espera, dormindo espera.
Sonha em morte a sua vida,
E orna-lhe a fronte esquecida,
Verde, uma grinalda de hera.

Longe o Infante, esforçado,
Sem saber que intuito tem,
Rompe o caminho fadado.
Ele dela é ignorado.
Ela para ele é ninguém.

Mas cada um cumpre o Destino
Ela dormindo encantada,
Ele buscando-a sem tino
Pelo processo divino
Que faz existir a estrada.

E, se bem que seja obscuro
Tudo pela estrada fora,
E falso, ele vem seguro,
E, vencendo estrada e muro,
Chega onde em sono ela mora.

E, inda tonto do que houvera,
À cabeça, em maresia,
Ergue a mão, e encontra hera,
E vê que ele mesmo era
A Princesa que dormia.


Eu espero que essa noite eu sonhe com poeta Fernando Pessoa, imagina só que honra!

E espero que esse poema toque essa tal de Daniela que ainda desconheço, e, todas as princesas e infantes.

Na mitologia o imortal Eros que representa o amor, o cupido, que se apaixona pela mortal Psiquê, a alma. A condição para manterem um bom relacionamento era que Psiqjamais poderia ver o rosto do marido, o que foi descumprido. Após um afastamento doloroso a alma e o amor se reencontram, a alma foi atingida por uma flecha do cupido e torna-se imortal. Então, os dois jamais se separaram.

O mito Eros e Psiquê retrata os percalços para a união entre o amor e a alma. Vale muito lê-lo Daí fiquei refletindo como essa luta interna acontece dentro de nós todos os dias.

O poeta soube expor isso nos versos. E nós? Como fazemos para permitir que nossa alma se integre ao amor incondicional?

Pagamos o preço para conhecer a verdade, ou, ficamos alimentando ilusões da dor canalha que nos dilacera nessa Torre de Babel? Essa mesma dor canalha que aprisiona nosso corpo sem permitir que a alma se intrege ao Todo que é puro amor.

6 comentários

  1. En la actualidad, las personas viven, comúnmente, sumergidas en la rutina. Por esa razón, es común mezclar el deseo con el amor. El deseo busca, frenéticamente una gratificación tras otra. El amor se satisface en sí mismo y eso es la más cercano al amor verdadero porque es incondicional. Motivo de muchas reflexiones con la poesía y tu disertación sobe la misma. Saludos Cristi. Espero que el mensaje haya llegado a Daniela.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s